Instituto D’Ali de Arte, Cultura e Esporte

Por que a criança deve praticar Kung Fu?

Por Rogério Alves Oliveira.

É muito importante principalmente nos dias atuais os pais investirem em uma educação de qualidade, oferecendo a seus filhos a oportunidade de aprender Kung Fu. Já no primeiro contato da criança com a arte marcial, o professor mostra o quanto ela consegue evoluir respeitando os seus limites. Durante todo o processo de ensino aprendizagem, a criança já entra em contato com a filosofia do Kung Fu aprendendo desde cedo valores culturais, morais e éticos, fundamentais na formação do caráter de qualquer indivíduo bem como a respeitar hierarquias.

Nas aulas de Kung Fu assim como acontece com os jovens e adultos, as crianças são condicionadas desde cedo a desenvolver habilidades motoras, lateralidade, consciência corporal, trabalho em equipe, bem como mediação de conflitos ou situação problema, pois a criança já entende que brigar, ser agressiva não são a melhor saída para resolver conflitos. No entanto, tenho percebido que ainda há um tabu relacionado a artes marciais em geral quando questionada por alguns grupos ou movimentos religiosos. As artes marciais em geral, em especial o Kung Fu não é religião, mas carrega consigo em sua cultura valores que complementam a religiosidade de cada indivíduo. Não existe preconceito na família marcial, existe união, existe respeito, existe regras e existe limites.

Eu, por exemplo, cresci ouvindo dizer que “luta” – pois esse era o termo que meus pais e muitos outros na época usava para definir uma arte marcial – dizia que era violento, que ensinava a brigar e durante um bom tempo não frequentei nenhuma escola ou academia. Somente depois de levar uma surra na escola, quando eu tinha 12 anos, meus pais resolveram procurar uma academia para aprender a me defender. Lembro-me que era o ano de 1993 bem no auge dos filmes do Van Damme, Jackie Chan, Jet Li e tantos artistas de cinema que usavam as artes marciais. Lembro-me que quando meu pai fez a matrícula na academia, meu saudoso mestre na época perguntou-me o porquê de eu estar ali. Eu respondi em tom afirmativo “que era pra aprender a lutar para me vingar dos colegas que me bateram”. Então, o mestre se levantou da cadeira, deu-me as costas e disse para eu ir embora, que não precisava de alunos assim em sua escola. Meu pai questionou a postura do meu  saudoso mestre, foi então que meu mestre voltou-se para onde eu e meu pai estava e apontou para o quadro que tinha o Wu-De – Código de Ética e Conduta Marcial – e disse que na escola dele não servia de abrigo para pessoas mal intencionadas. Foi aí que entendemos o real propósito do Kung Fu, que é de tornar os praticantes acima de tudo, pessoas de bem. Tais ensinamentos me moldaram a ser uma pessoa de bem. Quero aqui destacar alguns benefícios da prática do Kung Fu durante a infância. Podemos citar:

  • O desenvolvimento dos reflexos;
  • A  evolução do condicionamento físico;
  • A melhora da paciência;
  • O desenvolvimento da mobilidade das articulações;
  • O aumento da resistência do corpo;
  • O incentivo do controle emocional.

Em nossa metodologia de ensino utilizamos recursos como conversas e brincadeiras, com muita ludicidade aprimorando a atividade do universo infantil, deixando o ritmo das aulas mais tranquilo (assim como acontece com as demais atividades durante a fase de alfabetização da criança na escola). Ressalto ainda que o ensino e a prática deste esporte durante a infância precisam ser adaptadas, sobretudo para evitar riscos de lesões – que em crianças são mais perigosas, visto que os ligamentos ainda estão em processo de desenvolvimento. Tais mudanças são realizadas nos exercícios ensinados e também nas técnicas utilizadas a fim de captar a atenção dos alunos. É extremamente importante  saber que a criança pode até obter um tratamento específico durante as aulas, no entanto, será ensinada como uma pessoa com responsabilidades como qualquer outra, estando também sujeita às mesmas regras e cobranças de disciplina que um adulto. Aqui, o objetivo é levá-la a ter limites e atitudes. Por fim, podemos dizer que a prática do Kung Fu pode ser considerada como um complemeto perfeito e saudável para a educação das crianças.

Então, gostaria de conhecer mais sobre o assunto? Gostaria de conhecer os nossos serviços? Teremos o maior prazer em receber você. Venha fazer parte desta família! 

Shifu Rogério Alves Oliveira é educador,  pedagogo, artista plástico, músico, historiador da arte, artista marcial, professor de kung fu e tai chi chuan, escritor e palestrante.
Escrito por: dalikungfu

Comments: 6

Deixar um comentário