Campeões não nascem prontos, SÃO FEITOS !

Por Rogério Alves Oliveira.

Todo fã de arte marcial fica empolado com treinos, demonstrações de técnicas, campeonatos e alguns deles até mesmo reproduzem frases de efeito que aparecem em alguns filmes de artes marciais. E de certo modo, estas frases de efeito acabam servindo de estímulo ou até mesmo inspiração para dar continuidade na jornada como atleta ou artista marcial. Entretanto, todos nos sabemos que boa parte das coisas que são retratadas nas telas de cinema ou nos contos em sua maioria não passam de ficção. A realidade é muito mais complexa, pois se pararmos para pensar um pouco, desde a antiguidade a humanidade sempre enfrentou diversas situações onde sentimentos, emoções e ações eram testadas ao extremo e nos dias de hoje não é diferente. O que significava medo no passado, continua significando medo hoje em dia.

Medo de uma guerra, medo de um ataque inesperado, medo do adversário, medo de uma doença, medo da morte, medo de altura, medo de uma resposta negativa ou de uma reação não desejada, medo de tirar zero na prova, medo de ser reprovado na escola, no vestibular, no serviço, medo de ser zombado, medo é medo. O que percebo é que na contemporaneidade, o medo fez as pessoas perderem a capacidade de acreditar na sua própria força de superação. O medo gera descrença, desconforto, insegurança e mexe com toda a nossa estrutura. Dentro deste contexto vemos o Bullying ganhar espaço na sociedade, principalmete entre crianças e jovens. No cenário atual o que realmente é eficaz? Como vencer o medo, o desânimo e sair do estado de inércia?

Frente estas questões vemos muitos estudiosos, cientistas, psicólogos, artistas, religiosos e até youtubers dando dicas de como superar os seus medos. Cada um deles com visões e olhares diferenciados sobre o assunto. No entanto, como educador e artista marcial percebo que as artes marciais tem muito a contribuir para ajudar as pessoas, principalmente a criança e o jovem a superar os seus próprios medos e desafios.

O Kung Fu com toda a sua estrutura filosófica e marcial gera no praticante a capacidade de persistir no aprimoramento físico, mental e emocional. Suas rotinas e estudos permitem ao praticante vivenciar constantemente situações onde podemos equilibrar os nossos sentimentos e emoções, convertendo o aprendizado em ações e por meio destas ações sobressair as mais diversas situações. Superação é uma conquista diária, são degraus que devem ser alcançados paulatinamente, até o ápice dos seus objetivos de vida. E em todas as etapas o medo e o desânimo estarão presentes. Mas somente com muita disciplina e persistência, o medo e o desânimo serão obstáculos vencidos.

Um campeão não nasce pronto.  Uma pessoa se torna campeã a medida que ela decide dentro de si lutar contra os seus próprios medos. Ser campeão não é somente terminar a competição com perfeição e subir ao lugar mais alto do pódio. Ser campeão sobretudo é, conhecer os seus limites e estar disposto a mudar os seus pensamentos e hábitos para vencer na vida com humildade, honestidade e garra. De acordo  com o escritor e palestrante Roberto Shinyashiki: “Ser um campeão não é superar o outro, mas conseguir realizar os seus talentos no nível mais alto de sua existência.”

 

Então, quer se tornar um campeão? Pratique Kung Fu e supere os seus obstáculos. Marque já a sua aula e vivencie na prática a superação. Venha fazer parte desta família!

 

Instituto D’ali de Arte, Cultura e Esporte

 

Shifu Rogério Alves Oliveira é educador,  pedagogo, artista plástico, músico, historiador da arte, artista marcial, professor de kung fu e tai chi chuan, escritor e palestrante.
Escrito por: dalikungfu

Comments: 3

Deixar um comentário